Seguidores

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

MULHERES DO CANGAÇO CANGACEIRA MARIA DE PANCADA


O verdadeiro nome dessa jovem era Maria Adelaide de Jesus, era chamada de Maria Jovina por ser filha do senhor Jovino Nonato. Residia na zona rural do município de Santana do Ipanema, Alagoas. Foi roubada por Lino José de Souza conhecido no Cangaço pela alcunha de Pancada tornando se então cangaceira. Os dois já se conheciam e flertavam antes mesmo de Pancada se tornar cangaceiro. Foi roubada pelo mesmo em 1935 com apenas 14 anos de idade, passando a ser conhecida como Maria de Pancada no Cangaço. 


Uma polêmica que envolve o nome dessa cangaceira seria sua traição a Pancada com o cangaceiro Balão, que chegou a dizer em depoimento que manteve relações sexuais com a mesma por diversas vezes seguidas, durante uma viagem. 

O cangaceiro Balão

Depoimento esse que deve ser analisado com bastante cuidado. Pois o Cangaceiro Balão teve a tendência de mentir e aumentar os acontecimentos durante seus depoimentos. 

Maria de Pancada

Essa jovem participou das entregas juntamente com Pancada e seu subgrupo. O jornal A Noite do dia 14 de novembro de 1938 traz a reportagem sobre a entrega desse grupo de cangaceiros. Ao citado jornal, Maria Adelaide disse as seguintes palavras: “que não gostava da vida que levava, só acompanhando o amante sob ameaça. Fizera diversos planos para fugir, mais receava fosse morta por Pancada e sua família viesse a sofrer. Disse que ao sair de casa não gostava de Pancada, mais agora está gostando muito dele e é seu desejo se casarem assim que possam". 

Maria e Pancada

Outro fator que não podemos deixar de analisar é a mudança brusca da aparência física pela qual essa jovem passou durante sua estadia no Cangaço. Na foto de número 1 a mesma aparece com o rosto arredondado e com vitalidade. Na foto de número 2 que tirou antes da sua entrega, a mesma aparece em estado de extrema magreza mesmo estando grávida e com o rosto envelhecido e cansado. 

Na foto de número 3 que foi tirada durante a entrega do grupo de Pancada a polícia, percebam o ar de incômodo e tristeza dessa jovem. A vida no Cangaço para algumas mulheres representava a chance de liberdade, o sonho de uma vida melhor, pura ilusão e euforia. Pois a realidade era bem diferente. Violência, privações, perseguições, fome. Sorte dessa jovem ter escapado com vida, pois muitas mulheres como por exemplo Maria Bonita, Eleonora, Lídia, Enedina terminaram encontrando a morte no Cangaço.

ADENDO JOSÉ MENDES PEREIRA 

Apesar de não ser nenhuma autoridade no que diz respeito sobre "Cangaço" mas eu tenho esta mesma opinião da pesquisadora Noádia Costa: 

Veja a seguir o que eu penso clicando no link abaixo:

http://blogdomendesemendes.blogspot.com.br/2012/04/o-cangaceiro-balao-enfeitou-as-suas.html

Fonte de Pesquisa: Lampião o cangaço e as mulheres
Jornal A Noite 14 de Novembro de 1938
Foto 1: Acervo Abba FILM
Foto 2: Cortesia Família Teodureto Camargo do Nascimento, postada no Blog dos Mendes
Foto 3 : Extraída do livro Estrelas de Couro

https://www.facebook.com/groups/1617000688612436/

http://blogdomendesemendes.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário