Seguidores

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

PROGRAMA PONTO DE VISTA 299 - LUIZ SERRA

https://www.youtube.com/watch?v=SZ6c6SdbReA&feature=youtu.be

Publicado em 27 de fev de 2017
Categoria
Licença
Licença padrão do YouTube

Fonte 2: facebook
Grupo: O Cangaço
http://blogdomendesemendes.blogspot.com

http://blogdomendesemendes.blogspot.com

VALE A PENA REPETIR - ABRINDO ESPAÇO PARA BARACK OBAMA E SUA FAMÍLIA!

Por José Mendes Pereira

UM EXEMPLO DE HONESTIDADE!

Quem se atreve em dizer algo contra este ex-presidente que administrou a mais importante potência do mundo sem nenhum escândalo? Imagina se o Brasil fosse governado por esta família!


Por que esta família está de cabisbaixa?

Para a maioria dos políticos do Brasil esta família tem vergonha de ser honesta. Mas ela nunca teve e nem terá vergonha de ter conservado a honestidade como primeiro plano para administrar os Estados Unidos, um país que pertence a uma nação. 

Esta família não tem vergonha de ter mantido relações diplomáticas com o nosso querido Brasil, mas tem vergonha quando alguém fala nos políticos do nosso Brasil. 


Só em você olhar bem para esta família imagina como seria se os políticos brasileiros copiassem esta honestidade!

Família Obama se despede dos funcionários da Casa Branca.

Vejam a simplicidade do ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama e sua família. Em vez de colocarem garçons para servirem aos seus ex-funcionários que os serviram durante 8 anos de governo, os garçons são: Barack Obama, sua esposa Michelle e suas duas filhas Malia Ann e Natasha.


O escritor e editor do Brasil José Renato Monteiro Lobato (Monteiro Lobato) nascido em Taubaté, mo Estado de São Paulo, em 18 de abril de 1882, e faleceu no dia 4 de julho de 1948, foi um dos mais influentes escritores brasileiros de todos os tempos, e criou a frase bem famosa que é:

"Um país se faz com homens e livros". 

Mas, eu, observando bem, vi que o escritor Monteiro Lobato se esqueceu de completar o que desejaria falar sobre os homens aliados ao país criado: 

"...mas que os homens têm que ser honestos". 

http://blogdomendesemendes.blogspot.com

MULHERES CANGACEIRAS - NOVO LIVRO DO ESCRITOR JOÃO DE SOUSA LIMA- LANÇAMENTO EM MAIO DE 2017


EM MARÇO SERÁ LANÇADO NOVO LIVRO (MULHERES CANGACEIRAS: A ESSÊNCIA FEMININA COMO QUESTÃO DE GÊNERO).
ESSE SERÁ O 8º. LIVRO DO ESCRITOR E HISTORIADOR JOÃO DE SOUSA LIMA SOBRE O TEMA CANGAÇO.
PARA ADQUIRIR: 75-988074138
joaoarquivo44@bol.com.br
LANÇAMENTO PREVISTO PARA MAIO DE 2017

http://joaodesousalima.blogspot.com.br/2017/02/mulheres-cangaceiras-novo-livro-do.html

http://blogdomendesemendes.blogspot.com

SOLICITAÇÃO AOS PARENTES DO EX-CANGACEIRO "VOLTA SECA"

Por José Mendes Pereira
Ex-cangaceiro Volta Seca

O nosso   blog registrado com o nome de "Blog do Mendes e Mendes" http://blogdomendesemendes.blogspot.com solicita aos descendentes de Antonio dos Santos o ex-cangaceiro "Volta Seca" que entrem em contato conosco, para registrarmos em nossos arquivos a sequência da família do cangaceiro. Posteriormente serão registradas pelos pesquisadores e escritores.

Já recebemos informações de netas e bisnetas do ex-cangaceiro Volta Seca, mas elas desapareceram, e nunca mais retornaram com informações. 

Os familiares do ex-cangaceiro "Volta Seca" não têm de que temerem, pois o tempo está tão longe do tempo do cangaço. Não haverá mais nenhuma perseguição aos parentes dos cangaceiros, e nem tão pouco a algum cangaceiro que ainda esteja vivo e no anonimato. Sabe-se que tem a ex-cangaceira Dulce Menezes viva, mas é impossível ainda ter cangaceiros vivos no anonimato, mas ninguém sabe.

Dois bisnetos de dona Anália Ferreira irmã de Lampião já entraram em contato conosco, e tudo foi registrado neste blog:

O nosso e-mail é: 

josemendesp58@gmail.com 

http://josemendespereirapotiguar.blogspot.com.br
http://blogdomendesemendes.blogspot.com

LAMPIÃO ALÉM DA VERSÃO MENTIRAS E MISTÉRIOS DE ANGICO


Amigo leitor:

Se você quer adquirir um livro com excelentes histórias sobre o cangaço solicite este: "Lampião Além da Versão - Mentiras e Mistérios de Angico".

Você irá adquirir uma grande obra sobre as grandes invasões de Lampião. Adquira-o logo. 

Valor: R$ 50,00 (Com frete incluso).
Contatos para aquisição:
franpelima@bol.com.br
tel. (83) 9911 - 8286 / 8706 2819.

http://blogdomendesemendes.blogspot.com

PALAVRAS DO POETA, ESCRITOR PESQUISADOR DO CANGAÇO E GONZAGUIANO KYDELMIR DANTAS


Assistindo A HORA DO FARO e emocionando-me muito com a presença e o amor pelo Nordeste dos meninos-homens Pedro Lucas Feitosa e Pedro Motta Popoff ... 

https://www.youtube.com/watch?v=6NsnOJzL0Y8

Ô Nordeste abençoado por ter gente deste tipo que o valoriza... E partindo de dois jovens com 11 anos de idade... Serão eternos LUIZ GONZAGA e sua musicalidade... LAMPIÃO e sua história. 

Um acôcho nos dois cabras!!!


https://www.facebook.com/photo.php?fbid=388161401549911&set=a.110106342688753.1073741828.100010681625071&type=3&theater

http://blogdomendesemendes.blogspot.com

SILA EX-CANGACEIRA DO BANDO DE LAMPIÃO EM ENTREVISTA NO PROGRAMA JÔ SOARES ONZE E MEIA (SBT)

https://www.youtube.com/watch?v=eFwfZ7JkqVM&feature=youtu.be

Publicado em 27 de fev de 2017
Entrevista completa com a ex-cangaceira Sila (Ilda Ribeiro de Souza) antiga integrante do bando de Lampião no antigo Programa "Jô Soares onze e meia" do SBT (Sistema Brasileiro de Televisão).
Categoria
Licença
Licença padrão do YouTube

https://www.facebook.com/groups/ocangaco/?multi_permalinks=1482720425074404%2C1482582328421547%2C1482562265090220%2C1481942301818883&notif_t=group_activity&notif_id=1488129709080113

http://blogdomendesemendes.blogspot.com

OS RIFLES CUSPINDO FOGO

*Rangel Alves da Costa

Todos se exaurem das tratativas de tocaias e mortes. Todos se cansam das estratégias de vingança. Todos se enfadam de tantas ordens dadas e de tantas ordens recebidas. Mas os rifles não.

Os rifles têm de estar continuamente em sentinela, em vigília constante, de boca aberta e olhos atentos. Os rifles não repousam senão ao lado de mãos embrutecidas e dedos vorazes para apertar seus gatilhos.

Coronel Teovegildo diz ter suas razões para manter matadores dia e noite a seu dispor. Ou faz assim ou os inimigos chegam primeiro e fazem jorrar pelo terno de linho branco o sangue muito mais da desonra do que da morte.

Coronel Fenelon diz ter seus motivos para manter tantos jagunços e pistoleiros prontos tanto para o ataque como para a defesa. As inimizades semeadas agora tendem a vingar um mundo de revides sobre si e sua família. Todos estão jurados de morte certa.

Coronel Sá de Quaranta diz ter justificativas mais que suficientes para viver rodeado de homens ramados até os dentes. Os seus desafetos rodeiam seus latifúndios como urubus buscando carniça pra se fartar. Gaviões e carcarás povoam seus terríveis pesadelos.

Há, num mundo assim, um império de rifles, de vinditas de sangue, de desmedidas violências. Cada coronel quer, através das armas e do terror, impor-se sobre o outro a qualquer custo. É o preço do mando, da honra e do poder.

Preço do mando, da honra e do poder, mas também uma doença com feição incurável pelos latifúndios e posses das distâncias nordestinas. Males crônicos que vingam nos casarões e sobrados e se estendem pela terra tingida da vermelhidão putrefata da violência.

Os motivos? São muitos. Cabidos e descabidos, justificados e aberrantes. Mas quem há de falar em justa motivação quando o coronel quer, a todo custo, não só fazer prosperar seu império de poder como dizimar todo aquele igualmente poderoso que se mostra como pedra na botina?

Rixas históricas, confrontos quase épicos senão vergonhosos para a história a ser contada. E os livros com o dever de abrir suas páginas para situações verdadeiramente escabrosas das lutas entre coronéis e suas tropas de desalmados. Bala zunindo, os rifles sedentos de sangue, covas rasas ou carcaças deixadas pelos bicos afiados.


Na conflagração das guerras de poder e honra, não somente os coronéis são personagens principais. Os sobrenomes familiares se envolvem de tal modo nas desavenças que a morte de qualquer é sempre motivo para a deflagração de revides intermináveis.

Assim, se um familiar do Coronel Teovegildo é tocaiado e morto, que não se espere apenas o pranto. Daí em diante terá início uma caçada sem fim aos algozes. É a honra familiar berrando, gritando, bravejando terror.

Se um parente do Coronel Fenelon ou do Coronel Sá Quaranta tomba pelo cuspe do rifle dos homens de qualquer outro coronel, logo o mundo parece que vai acabar. E o sangue vai respingando em irmão, em primo, em afilhado, até em amigo. E as cruzes vão se somando nas guerras familiares.

Vinditas antigas, de raízes as mais distantes. Guerras se muitas vezes se iniciaram pela disputa de terras, pelas espertas demarcações, pelas invasões premeditadas. O acinte de um é logo traduzido pelo outro como um chamamento ao duelo. Mas mesmo os dois desafetos tombando, as rixas repassam para os sobrenomes familiares.

Por isso mesmo que historicamente as famílias permanecem em vingança após vingança. O troco pela morte de um se dá pela morte de outro, ou mais de um, da outra família. Mesmo quem com menos violência nos dias recentes, ainda perduram os ódios, os confrontos e a cusparada dos rifles. Tiro após tiro, bala após bala, morte após morte, assim o mundo medonho e doentio da honra e do poder familiar coronelista.

Em tal configuração, os rifles nunca descansam, nunca adormecem, nunca são deixados esquecidos num canto. Igualmente, agora travestidos de matadores de aluguel, os antigos jagunços continuam em alerta ao recebimento de ordens. Basta que um serviço tenha de ser feito, então a tocaia é logo preparada, a emboscada é colocada em ação.
Jagunço é bicho desalmado. Mão fria e traiçoeira, impiedoso aperto de gatilho. Não há gente diante de sua mira, apenas um bicho qualquer que merece morrer. Não é diferente com os matadores de hoje. A covardia é sempre a mesma, a violência é sempre a mesma, o cuspe da arma nunca muda nesse mundo bárbaro e atroz.

Por isso mesmo que os senhores do sangue e do mando lançam mão de pessoas tão bestiais para os seus intentos igualmente bestiais. Como o jagunço ou o matador não respeita senão ao mandante e ao gatilho, o que se tem a devastação de famílias inteiras pela boca dos rifles, pelos canos famintos de sangue.

Os rifles de outrora são os mesmos rifles de hoje, ainda que em nome de outras armas ainda mais potentes. Mas a situação é a mesma. Apenas cuspir fogo para a desgraça alheia, para o último gemido de vidas entrelaçadas pelas sangrentas vinditas.

Escritor
blograngel-sertao.blogspot.com

http://blogdomendesemendes.blogspot.com

ANTIGO LÓCUS NO QUAL FUNCIONAVA PRECARIAMENTE A FEIRA DO BODE EM MOSSORÓ/RN

Por José Romero de Araújo Cardoso

Antigo lócus no qual funcionava precariamente a Feira do Bode em Mossoró/RN, localizado em um terreno que outrora era baldio, próximo ao Museu Lauro da Escóssia. Essas fotografias fazem parte do acervo iconográfico da pesquisa realizada entre os anos de 2001 e 2002 para dissertação de mestrado enquanto requisito para a obtenção do título de mestre em desenvolvimento e meio ambiente.









Crédito das fotos: José Romero Araújo Cardoso.


Enviado pelo professor, escritor, pesquisador, do cangaço e gonzaguiano José Romero de Araújo Cardoso

http://blogdomendesemendes.blogspot.com

MAIS OUTRA DO CORONEL SANTANA

Por Pesquisador do cangaço Bosco André

Numa de suas fazendas o coronel Santana mantinha um criatório de bodes e começou a desaparecer os bodes, e o coronel chamou ao seu encarregado e disse:


- Compadre, isso é a onça que está pegando estes bodes, e vamos pastorar a onça para matar”, lhe entregando um rifle.

Debalde aquela ordem do coronel, pois o compadre sempre alegava que não conseguia matar a onça e os bodes sumindo.

Um dia o coronel Santana manda chamar o compadre à Serra do Mato, e conversa vai, conversa vem, escureceu e o coronel Santana diz ao compadre:


- Você hoje vai dormir aqui e pode amarrar o seu cavalo perto daquela cana que replantei a poucos dias, mas amarre bem seguro para não estragar a cana, e ainda porque, lá perto tem uma bola de capim que dá para o cavalo alimentar-se bem durante a noite.

O compadre preparou um torno, fincou ao chão e amarrou o burro com uma corda nova.

Por trás, o coronel Santana manda um seu cabra a noite velha, cortar a corda com pedras, para que o compadre de nada desconfiasse.

Madrugada cedo, o compadre levantou-se e foi até onde estava amarrado o seu cavalo, e para seu espanto, o mesmo estava dentro da cana tão recomendada pelo coronel.

Ao retornar à casa grande, o coronel Santana já estava de pé, e perguntou:

- Como foi compadre, o cavalo estava amarrado no lugar que você deixou?

E o compadre disse:

- Compadre, o burro soltou-se e deu um estrago muito grande na sua cana, isso eu não posso negar.

Então o coronel Santana disse:

- Pode ir para casa compadre, pois o homem que não mente, também não rouba!


Tirando a limpo a história de que a onça realmente era quem estava comendo os bodes do coronel e não o compadre, como ele desconfiava.


http://blogdomendesemendes.blogspot.com

11 FOTOS DO ACERVO DO PROFESSOR JOSÉ ROMERO DE ARAÚJO CARDOSO


Fotografias que fazem parte do acervo referente à pesquisa de campo realizada em assentamentos rurais, visando elaborar dissertação de mestrado, a qual foi defendida em 02 de julho de 2002, cujo título é A Importância da caprino-ovinocultura em assentamentos rurais de Mossoró, orientada pelo Prof. Dr. Benedito Vasconcelos Mendes. Essas fotografias foram tiradas no assentamento rural Hipólito (Vilas I e II) - Município de Mossoró/RN.











Crédito das fotos: José Romero Araújo Cardoso (Exceto a primeira)

Enviado pelo professor, escritor, pesquisador, do cangaço e gonzaguiano José Romero de Araújo Cardoso

http://blogdomendesemendes.blogspot.com

O SERTÃO ANÁRQUICO DE LAMPIÃO

Autor Luiz Serra

Serviço
“O Sertão Anárquico de Lampião” (de Luiz Serra, Outubro Edições, 385 páginas, Brasil, 2016)
Valor do livro: R$ 50,00 (Frete fixo: R$ 5,00), através do e-mail anarquicolampiao@gmail.com

Informações: Luiz Serra – (61) 99995-8402 luizserra@yahoo.com.br
Assessoria de imprensa: Leidiane Silveira – (61) 98212-9563 leidisilveira@gmail.com

Um dos pontos de venda avançados no sertão histórico de Cajazeiras, é do professor Francisco Pereira, que envia para todos os lugares. O e-mail de base de vendas: "franpelima@bol.com.br" 

Peça logo o seu para não ficar sem ele: Livros sobre cangaço se demorar adquiri-los ficará sem eles, porque são arrebatados pelos colecionadores.

Fontes:


https://tokdehistoria.com.br/2016/08/17/na-capital-federal-lancamento-do-livro-o-sertao-anarquico-de-lampiao-de-luiz-serra/

http://blogdomendesemendes.blogspot.com